quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Hidrogenio

Na escola ensinavam-me toneladas de nocoes que eu digeria com diligencia, mas que nao me fervilhavam nas veias. Via entumescerem-se os gomos na primavera, reluzir a mica no granito: olhava para as minhas proprias maos e dizia comigo: " Compreenderei tambem isto, compreenderei tudo, mas nao como eles querem. Encontrarei um atalho, arranjarei uma gazua, forcarei a porta." Era enervante, mesmo nauseabundo, ouvir discursos sobre o problema do ser e do conhecer quando a nossa volta tudo era um misterio que permanecia por desvendar: a madeira vetusta dos bancos, a esfera do Sol vista das janelas e dos telhados, o voo inutil das melgas no ar de junho. Vejamos: seriam capazes de fabricar este mosquito todos os filosofos e todos os exercitos do mundo? Nao, nem sequer seriam capazes de o compreender. Esta era uma vergonha e uma coisa abominavel e era preciso encontrar uma alternativa.

Primo Levi
O sistema periodico

Texto a ser corrigido quando voltar a  ter um teclado portugues, a caneta tinha mais vontade que o primor pela ortografia

Sem comentários: