sexta-feira, 27 de maio de 2011

Saint-Exupéry

O quinto planeta era muito curioso. Era o menor de todos. Só tinha espaço, à justa, para um candeeiro e um acendedor de candeeiros. Por mais voltas que desse à cabeça, o principezinho não conseguia perceber para que podiam servir, algures no céu, num planeta sem casas nem população, um candeeiro e um acendedor de candeeiros. Mas disse para consigo:"Este homem é bem capaz de ser disparatado. Mas é bem menos disparatado do que o rei, do que o vaidoso, do que o homem de negócios e do que o bêbado. Ao menos o trabalho dele tem um sentido. Quando acende o candeeiro, é como se fizesse nascer uma estrela. Ou então uma flor. Quando apaga o candeeiro, é o mesmo que pôr a flor ou a estrela a dormir. É uma ocupação muito bonita. E como é bonita, é útil."

O Principezinho

Sem comentários: