domingo, 4 de abril de 2010

O regresso é sempre mais chato que a partida, principalmente as viagens de avião. Porque de resto, já estava com o bichinho de voltar. E quinta lá vou eu outra vez. É bom sair e refrescar a cabeça, mas também é quando voltas que vês que deixaste aqui tanto, e não tens tempo até quinta de matar saudades de tudo, e que às vezes quem menos esperavas te quer dar um beijo antes de ires, e que quem esperas principalmente está quase a ir para perto de ti, que tanto senti falta nesta semana. É chato comemorar um aniversário sem poder dar os parabéns pessoalmente. Principalmente de um aniversariante tão importante. Também é chato ainda não ter as fotos da viagem, porque a organizar estes posts ficam uns em falta. O que não é chato é que a contagem decrescente diminui, e como dizia Saint- Exupery quando uma pessoa está cativada, quanto mais perto chega a hora de encontrar quem a cativou, mais borboletas na barriga. Mais sobre o aniversário, se o escrever, será no papel. Este blog está a virar muito cor de rosa. Estou a pensar em mudar-lhe o inteface ou layout ou lá o que isto é. O que interessa é que, nunca me soube tão bem estar outra vez em casa. E tal como quando me despedi, e já aqui escrevi, deixava mais do que pensava, tinha mais do que achava, e melhor ainda, fui capaz de fazer alguém sentir o que já não sentia há muito tempo. Aquela palavra portuguesa sem tradução. Mata-se amanhã.

Sem comentários: