terça-feira, 26 de janeiro de 2010

Virá o tempo de chegar: por agora, caminhamos. 1, 2, 3 partida! era uma vez uma estrada, um caminho longo até perder de vista... perto de uma clareira subindo até ao cume donde se podia olhar, ver um destino. mão na testa, água!, um rio ou lago, nunca mais se podia esquecer do último troço do caminho quando trincara a maçã. era longa a rua, perdia-se a luz no terreno, era um destino que só correndo seria ultrapassado. implicava cuidado. pé ante pé devagar splosh, splash, friooo. calor longe, quenteee. e terminava a rua no centeio.
1999- Mocamfe

Sem comentários: