terça-feira, 21 de abril de 2009

notícia da minha morte

O INE conta com mais um dado. Uma máquina perdeu um olhar. A música perdeu uma coleccionadora que ama aleatoriamente o que armazena. E também uma daquelas aprendizes não muito dedicada. Perdeu um bom ouvido e uma voz que às vezes podia embalar... Leitores perderam textinhos confusos,daqueles difíceis de entender,mas que de alguma maneira funcionam... As calçadas perderam saltinhos e correrias.O scratching perdeu uma aspirante. Os livros perderam uma leitora pouco frequente,pouco interessada,mas que quando se apaixonava por eles os sublinhava desrespeitando-os.Papéis perderam :

  • listas
  • listas
  • sempre por fazer e sempre por acabar
Um palco perdeu uma aprendiz atenta,uma amante de dizer a verdade a mentir,sem mentir. Wong Kar Wai perdeu uma defensora (com unhas de dentes) de um dos seus filmes. Uma metade perdeu outra. Outros terços e quartos (que no coração de esta eram sempre vistos como uma unidade,todos os dias,até prova tivesse em contrário) perderam um bocado dela também,cada um sua parcela,as boas e as más.Alguém perdeu uma futura companheira de quarto..ou só 'uma das..'? A dança não perdeu um ícone,uma futura estrela,um futuro sucesso,nem uma mãe,nem uma filha, perdeu apenas uma crente desmedida. A sociedade perdeu alguém que acreditava nos sonhos,que apostou que podia sonhar. As fadas perderam alguém que batia palmas para dizer que acreditava nelas. O mundo perdeu mais alguém que atirava lixo para o chão. Mas e afinal que ficou sem ser perdido?

1 comentário:

Joana disse...

gosto :)
Também ia sentir a tua falta