sábado, 8 de março de 2008

-Tu olharás, de noite, as estrelas. A minha não aparece sempre tu sabes,viajante.É melhor assim, a minha estrela será então qualquer das estrelas. Gostarás de olhar todas elas... Serão, todas, tuas amigas. E depois, eu vou fazer-te um presente...E sorri outra vez.
- Ah! meu pedacinho de gente, meu amor, como eu gosto de ouvir esse riso!
- Pois é ele o meu presente...Tu,terás estrelas como ninguém...
- Que queres dizer?
- Quando olhares o céu de noite, porque habitarei uma delas, porque numa delas estarei sorrindo, então será como se todas as estrelas sorrisem para ti! E tu terás estrelas que sabem sorrir!E sorri mais uma vez.
- E quando te tiveres consolado (a gente sempre se consola), tu te sentirás contente por me teres conhecido. Tu serás sempre meu amigo. Terás vontade de rir comigo. E abrirás às vezes a janela à toa, por gosto... E teus amigos ficarão espantados de ouvir-te rir olhando o céu. Tu explicarás então: "Sim, as estrelas, elas sempre me fazem rir!" E eles te julgarão maluco. É o nosso segredo.E ri de novo.
- Será bonito, sabes? Eu também olharei as estrelas. Todas as estrelas serão um abraço amigo. Todas as estrelas me darão a mão com esse calor...
Ele calou-se....

«em nossa honra ~ data »
O príncipezinho - Antoine Saint Exupéry

1 comentário:

constança disse...

brilha brilha lá no céu,a estrelinha que nasceu